Vinhos para Beber na Primavera. Escolha o(s) Seu(s) !


Digo que Vinho traz conversas incríveis. 

Essa semana ao bater um papo com um amigo querido, falávamos sobre a Chegada da Primavera.

Claro que o tema VINHO veio á tona.
Resultado de imagem para vinhos para beber na primavera


Começamos a falar quais vinhos combinariam com a nova Estação e conversa vai, conversa vem, fomos pesquisar.
Entre várias opções do Universo Virtual a que mais nos agradou é a que coloco a seguir:

No Brasil, o vinho ainda está muito ligado ao inverno, mas essa bebida pode combinar com qualquer época. E, para a primavera, com as temperaturas subindo, porém com certo frescor e alegria das flores, há uma gama de vinhos que vão ao encontro desse clima: espumantes, brancos, rosés e alguns tintos mais leves. “Quando uma pessoa me diz que não gosta de branco ou rosé, brinco respondendo que cada vinho tem seu momento”, diz a sommelière Rosana Ferreira, formada pela Associação Brasileira de Sommeliers (ABS).
Para a expert, porém, nenhum vinho simboliza tanto a primavera como o rosé. “Com sua cor exuberante e seu frescor, não pode faltar à mesa, exatamente como na Provence, no Sul da França, o berço do rosé, onde esse vinho harmoniza perfeitamente com o clima ensolarado e a culinária regional, mais leve e alegre.” O rosé tem uma grande vantagem: vai bem tanto com legumes, saladas, peixes e frutos do mar, como com carnes mais leves, grelhados e massas. Uma boa saída para mesas em que uns preferem peixes e outros, carnes.
Imagem relacionada
Uma dica de Rosana Ferreira é beber o vinho com a receita típica da Provence, que também cai muito bem na primavera: o ratatouille, que ficou conhecido pelo desenho animado de mesmo nome, preparado com berinjela, pimentão, abobrinha, cebola, alho e azeite de oliva.
E para quem vira a cara para os rosés, o sommelier Marcelo Rosa, proprietário da Enoteca O Melhor Vinho do Mundo, em São Bernardo do Campo, lembra que esse vinho sempre surpreende. “Todo mundo já sabe o que esperar de um tinto ou branco, e quando degusta um rosé sempre se surpreende, seja pelos aromas e sabores, seja pela apresentação de sua cor e garrafa - já que os produtores estão investindo bastante nesse tipo de vinho. Nas degustações, sempre é o mais vendido." 
Espumantes e vinhos brancos 
Espumantes e vinhos brancos são geralmente associados ao calor do verão, e com razão: são leves, têm ótima acidez , muito frescor e devem ser degustados gelados. Mas também podem ir bem com temperaturas amenas, como primavera e outono, dependendo da harmonização. “O ideal é combiná-los com peixes, frutos do mar e saladas”, afirmou Marcelo Rosa.
Ainda em relação aos brancos, uma dica para a sobremesa é o italiano moscato D’Asti, um vinho adocicado e com uma leve efervescência, que harmoniza com sobremesas de frutas frescas. “Minha dica é tomá-lo bem geladinho acompanhado de morangos frescos e maduros”, sugere Rosana.
Tintos? Por que não? 
E quem disse que um tinto não combina com primavera? Esse é outro mito do mundo do vinho. “Se a opção é um tinto, escolha os mais leves, como um vinho da uva pinot noir e os do Sul da França”, ensina Marcelo Rosa.
Originária da Borgonha, a uva pinot noir produz vinhos mais delicados e complexos, tanto no aroma como no sabor, com menos intensidade de cor. Pode ser um pouco mais caro, já que se trata de uva difícil de ser cultivada e não se dá bem qualquer região. Além da Borgonha, a pinot noir se deu bem no Chile, na Patagônia (Argentina), na Califórnia (Estados Unidos) e na Nova Zelândia. 
Os vinhos do Sul da França são ótimas opções para a primavera, como os Côtes du Rhône, que são de corte ou assemblage, ou seja, uma mistura de várias uvas. A grande maioria levam pinot noir, grenache, mourvèdre e syrah. Quando o vinho é feito somente com um tipo de uva, chama-se varietal.
Imagem relacionada
Também é possível encontrar vinhos mais leves de outros países, como Argentina e Portugal, que tenham em sua assemblage a uva merlot, que muitas vezes tem o papel de “amaciar” o vinho, e a pinot noir, ambas geralmente associadas às uvas emblemáticas do país produtor - por exemplo, na Argentina é a malbec; no Chile, a carmenère.
Escolha o seu favorito e celebre a chegada da próxima Estação.



Salute!

Beijo da Gu

Fonte : Portal Terra /Arquivo Pessoal

Comentários