Café e Celebridades. Conheça essa Relação Cheia de Histórias e Sabor!

Quando um assunto nos interessa, pesquisamos, lemos tudo o que é possível a respeito.
Imagem relacionada
Café é sim algo que faz parte do meu cotidiano há décadas.

Reencontrei esse artigo no Blog Moccato e claro, tenho que publicar aqui no Papo com a Gu.
Delicie-se com a leitura , aproveite e prepare uma bela xícara de café!
Resultado de imagem para famosos e cafe
O café está na moda. Recentemente vivemos uma onda de valorização da cerveja, com a chegada das cervejas especiais e agora o brasileiro descobre as sutilezas de um bom café. Mas engana-se quem pensa que a paixão por café é coisa recente. Ao longo da história não faltaram amantes da bebida que aquece e desperta. Reunimos alguns exemplos que vão desde personalidades da política até celebridades contemporâneas. Pegue sua xícara e boa leitura!
Resultado de imagem para famosos e cafe

Napoleão Bonaparte
O imperador francês foi um grande apreciador de café. A relação de Napoleão com a bebida era tão intensa que ele teria dito: “Um café bem forte é o que me desperta. Me deixa aquecido, acordado, me dá uma força fora do comum e uma dor – acompanhada de um grande prazer”. Coincidência ou não, a Ilha de Santa Helena, na qual o político foi exilado, produz um dos grãos de café mais caros do mundo: são grãos de Bourbon arábica, colhidos ainda verdes.

F. Scott Fitzgerald
Quem gosta de literatura americana conhece bem este nome: entre outros títulos, Fitzgerald é o autor da obra O Grande Gatsby. Assim como muitos outros escritores, o romancista cultivava o hábito de tomar café. O hábito, no entanto, estava longe de ser funcional: o café também era apreciado pelo seu sabor e usado como forma de reunir os amigos. Inclusive, ele foi um dos famosos artistas que visitaram o café parisiense Le Select. Além dele, Picasso e Hemingway frequentaram o terraço do estabelecimento para apreciar a bebida.
F. Scott Fitzgerald, Ernest Hemingway e amigos em uma cafeteria

Benjamin Franklin
O café esteve presente em muitos momentos políticos importantes para a história mundial. Benjamin Franklin, um dos líderes da Revolução Americana, era um apreciador da bebida. É conhecido que, anos antes da revolução, o jornalista costumava frequentar as cafeterias da cidade de Londres. Sobre este hábito, Franklin teria dito: “Amo todas as almas honestas que encontro em uma cafeteria londrina”.

David Lynch
David Lynch é um importante diretor e roteirista da atualidade: são dele filmes como Coração Selvagem e Cidade dos Sonhos. O gosto do cineasta pela bebida é de conhecimento público, já que ele até tem sua própria linha de café orgânico. A bebida é tão importante para Lynch que ele garante que “até um café ruim é melhor que café nenhum”.

Taylor Swift
Resultado de imagem para taylor swift e café
A cantora americana não esconde sua paixão pela bebida e volta e meia é fotografada com um café nas mãos. Em 2010, quando a artista namorava o ator Jake Gyllenhaal, os dois compartilharam o amor pela bebida: foram fotografados em diversas cafeterias espalhadas pelo Estados Unidos, de Nashville ao Brooklyn, esse namoro foi praticamente um roteiro de cafeterias.


Clark Gable
Resultado de imagem para clark gable e café
Se você gosta de acompanhar hábitos de famosos, talvez até já saiba que o grande galã do cinema americano era fã da bebida. Dependente do seu café matinal, o ator teria dito: “Eu nunca rio até ter tomado meu café”.


Ludwig Van Bethoveen
Ludwig Van Bethoven é um respeitado compositor alemão nascido em 1770. Ele é mais um exemplo de personalidades que apreciavam uma xícara de café, mas com um detalhe excêntrico: a bebida precisava ser preparada com exatos 60 grãos, nem um a mais e nem um a menos.

Honoré de Balzac
Este é mais um exemplo de escritor que também foi uma grande consumidor da bebida. Balzac, inclusive, descreveu o quanto a bebida era importante em seu processo criativo: “Assim que o café entra no seu estômago, há uma comoção geral. As ideias começam a se movimentar, surgem os sorrisos, o papel é coberto. O café é seu aliado e a escrita deixa de ser uma luta”. Pelo visto, sem a bebida, talvez não tivéssemos algumas das obras-primas da literatura francesa!

POR IRINA DIDIER


E você, já pensou que declaração você daria sobre o café? 
Beijo da Gu

Comentários