A Primavera é Rosé - Vinhos Nacionais


Embora o calor seja de pleno Verão, ainda estamos na Primavera.

Calor combina com vinhos refrescantes.
E hoje o papo é sobre vinho nacional sim.
A dica é de uma vinícola super bacana aqui do Estado de São Paulo.que tive a satisfação de visitar algumas vezes.
Quinta Moraes - São Roque

A primavera é uma estação floral, encantadora e cheia de perfumes deliciosos pairando no ar. Os dias são levemente mais quentes, as tardes ficam mais longas e as noites são frescas. Tudo parece um convite pra gente desfrutar desse clima tão contagiante.

Nem frio demais, nem calor demais. Na dúvida entre abrir um tinto ou um branco? Vai de rosé!

O que esperar ao abrir um rosé?
Com tonalidades que podem variar do delicado rosa perolado até o vívido rosa cereja, ao olfato um rosé costuma revelar notas florais e de frutas vermelhas. No paladar, sua leveza e refrescância completam a sensação de um vinho que desperta cada vez mais a paixão e a fidelidade de seu apreciadores.

Sua cor, perfume e sabor são frutos de diferentes métodos empregados na produção, como a composição entre vinhos tintos e vinhos brancos ou, então, usando uvas tintas e deixando o mosto (sumo das uvas frescas e prensadas) por pouco tempo em contato com as cascas da uva (responsáveis pela coloração), garantindo a tonalidade mais suave.

Esse último método é o escolhido para a elaboração do nosso Bordô Rosé Suave, lançado recentemente para ampliar e diversificar nosso catálogo. O mosto fica em contato com as cascas da uva bordô por no máximo 2 horas, suficiente para garantir a coloração brilhante e viva, e a fermentação acontece a frio, em temperatura controlada, para melhor manter o perfume e sabor. 

Dicas
Os vinhos rosés, em sua maioria, são produzidos para serem consumidos jovens, entre um e três anos após sua produção, garantindo que sua acidez e frescor sejam aproveitados ao máximo. Em países como a França, por exemplo, alguns tipos de rosé são elaborados para serem armazenados por muitos anos. Nesse processo de envelhecimento, eles podem adquirir uma tonalidade róseo-alaranjada.

Como a maioria dos vinhos, é inevitável que ele vá perdendo suas características originais depois de aberto, ainda assim é possível apreciá-lo após alguns dias. Recomendamos que ele não seja guardado por mais do que 3 dias, aproximadamente. Lógico que isso não é uma regra, pois a acidez é o que determina essa duração. Quanto mais ácido, mais tempo ele pode durar após aberto, o importante é estar atento e tomar cuidados básicos e que servem para todos os vinhos: 
Mantenha a garrafa bem fechada e de pé, com a rolha ou tampa especial, o ideal é que se evite ao máximo o contato do vinho com o ar. 

Não guarde-o na porta da geladeira, pois o movimento agita a bebida e isso pode acelerar sua deterioração 

Não tenha medo de arriscar!

Por possuir características tão versáteis, as regras de harmonização são ainda mais flexíveis. Permita que seu paladar explore toda essa versatilidade, e crie suas próprias combinações. Se está em dúvida, afirmamos que ele vai muito bem com carnes brancas e frutos do mar, molhos leves e pouco condimentados e comida japonesa.

O vinho do momento!
O rosé ganhou uma atenção especial do público nos últimos anos, especialmente entre os jovens seu consumo vem crescendo cada vez mais. No happy hour, no jantar, à beira do mar ou da piscina, em um passeio a céu aberto no campo, na sala de casa, não importa, ele sempre será a certeza de uma boa escolha. 

E você, já colocou seu rosé pra gelar?

Beijo da Gu

www.vinicolaxvdenovembro.com.br

Comentários